Vigilância Sanitária apreende 800kg de alimentos estragados na Serraria

Carne, queijo e linguiças estão entre os produtos inapropriados para consumo da população

A Vigilância Sanitária (Visa) de Maceió apreendeu cerca de 800 kg de carne, queijo e linguiça estragados em operação que ocorreu, nesta quinta-feira (13), em dois supermercados de médio porte do bairro da Serraria. De acordo com o órgão, somente em um deles os fiscais confiscaram 500 kg dos produtos já fora da validade e inapropriado para consumo.

Após a apreensão, o material foi encaminhado para o aterro sanitário, no Benedito Bentes, na parte alta da capital. Há duas semanas, a Visa já havia confiscado uma tonelada de carne suína, bovina, peixe e mortadela nos Mercados da Produção, Jacintinho e Village Campestre. As fiscalizações têm sido frequentes em Maceió, como explica o coordenador da Visa na capital, José Airton.

Carne estragada apreendida em fiscalização da Visa na Serraria. Foto: Ascom SMS

“Vamos realizar fiscalizações também na sexta-feira e durante todo o fim de semana para garantir que a população não seja lesada, levando para a mesa produtos fora da validade, estragados e que causem danos à saúde. As operações são uma determinação do prefeito JHC e a Visa tem feito seu papel”, destacou o coordenador.

Ainda sobre a fiscalização ocorrida nesta quinta-feira, José Airton explicou que os supermercados flagrados comercializando alimentos estragados cometeram uma infração e estão sujeitos à multa que varia de R$ 180,00 a R$ 19 mil, dependendo da gravidade do problema.

Somente em um supermercado, Vigilância Sanitária confiscou 500kg de alimentos. Foto: Ascom SMS

O órgão tem exercido papel fundamental na garantia dos direitos do consumidor na hora de comprar alimentos e outros itens necessários para o dia a dia. Conforme Airton, o retorno dos fiscais aos estabelecimentos autuados é de fundamental importância para a consolidação do trabalho.

“O retorno aos lugares, depois de apreensão e autuação, é uma forma de ratificar os procedimentos previstos em lei”, explicou o coordenador da Vigilância Sanitária.

Ascom/SMS

Fonte: Prefeitura de Maceió