Educação produz podcasts de contações de histórias com adaptações de livros infantis

Contagens de histórias acontecem em áudios curtos de até 5 minutos

Ouvir e contar histórias são formas de propagar cultura, expressar sentimentos e desenvolver a imaginação. Sabendo disso, a Biblioteca Carlos Moliterno (BCM) da Secretaria Municipal de Educação (Semed), busca criar bons hábitos literários e estimular a imaginação das crianças da rede municipal com podcasts de Contação de Histórias.

As postagens são regulares e acontecem toda quinta-feira, trazendo como conteúdo adaptações de livros infantis. São histórias de personagens recheados de aventuras regadas de muita imaginação, em pequenas gravações que duram cerca de cinco minutos. O projeto ganhou forma através das redes sociais da BCM (Facebook/bibliotecacarlosmoliterno e Instagram @bcmsemedmaceio) e dos e-mails institucionais das escolas, locais onde a biblioteca dispõe dos áudios.

A importância de se produzir esse tipo de conteúdo para o coordenador da BCM da Semed, Aurélio Xavier Lins, representa um grande estímulo a capacidade de desenvolver a imaginação, que começa pelo estímulo sonoro, criando assim o hábito de visualizar a narrativa produzida pela contação.

“A contação de histórias é uma importante ferramenta para a criação do gosto pela leitura que estimula e desenvolve o pensamento e autonomia das crianças. A ideia é transformar a leitura em uma atividade prazerosa, fugindo da ideia de uma leitura mecânica”, disse Aurélio.

Estação saber era um projeto realizado pela Biblioteca Carlos Moliterno

Contar histórias já era um trabalho realizado pela BCM com a “Estação Saber”, biblioteca móvel- ônibus que levava conhecimento para todas as escolas da Rede Municipal, mas que, durante a pandemia tiveram suas atividades paralisadas. Por conta disso, o podcast se tornou diante do isolamento social uma saída para ir além das limitações como conta o coordenador.

“Sempre trabalhamos junto às escolas com incentivo à leitura por meio da Estação Saber. O podcast é mais uma forma que encontramos de alcançarmos nosso público e, por se tratar de um formato mais leve, acreditamos que seja mais acessível para os professores e estudantes”, concluiu.

Produção dos Podcasts

Os áudios pedagógicos são produzidos e editados pelas próprias contadoras que buscam inspirações em periódicos correspondendo à turma a qual as gravações serão destinadas, como diz a professora dos 1º anos da Escola Municipal Pedro Suruagy, Saniele dos Santos Alves. A educadora não esconde o sentimento de satisfação e detalha as formas de uso das contações como ferramenta de desenvolvimento.

“A contação de história é mais um instrumento utilizado por nós professores, dependendo de nossa estratégia conseguimos alcançar grandes resultados. Eu adoro pedir o reconto dessas histórias por parte dos alunos, trabalhando assim a oralidade, além de despertar o senso crítico da criança, fazendo com que ela diga o que pensa e o que acha da história”, detalhou, a professora.

A Servidora da biblioteca Carlos Moliterno, Gracileide Melo é outra profissional envolvida nesse processo de aprendizado, que vai desde o processo de criação a divulgação do podcast. Ela explica que a retomada das contações de histórias utilizando os meios digitais como canal de interação foi uma necessidade para ampliação do trabalho da biblioteca na Rede.

“Tem sido um trabalho desafiador, mas, ao mesmo tempo, gratificante. Buscamos trazer mais uma modalidade de inserção do nosso público ao mundo encantador da leitura como forma de apreciação e envolvimento literário. Buscamos com o nosso projeto, ser mais um elo de incentivo e apoio ao nosso corpo docente disponibilizando os áudios, vídeos e indicações de leituras, filmes e sites para uma prática pedagógica sempre assertiva, envolvente e promissora”, disse Gracileide

Reconto

Todos as quintas, a aluna do primeiro ano da Escola Pedro Suruagy, Laura Teles tem um encontro marcado com as histórias pedagógicas. Ao lado de sua mãe a estudante ouve atentamente as histórias e mergulha em um mundo literário. Contente por poder desfrutar desse conteúdo, a menina declara seu sentimento.“Amo quando a professora me manda as histórias, quase todos os dias ela nos envia. Gosto demais de escutar, pois me sinto muito feliz. Minha história favorita é a ”Jogo de bola”, da Cecília Meireles, diz Laura.

Laura reconta sua história favorita

As contações são válidas para todas as idades, como é o caso da mãe da Aluna Clara Tereza do 1º ano, da Escola Municipal Pedro Suruagy, Maria Sandra da Silva, que recebeu com alegria o conteúdo produzido pela Educação. Sandra fala satisfeita sobre as experiências que ela e sua filha têm ao ouvir a contação dos livros digitais.

“Tenho acompanhado todas as histórias e só tenho coisas boas para falar, pois a maneira com que as histórias são contadas são ótimas. Não tem como o aluno ouvir e não aprender. Minha filha fica encantada com os podcasts e eu me sinto muito feliz por ela ter o prazer de ouvir às contações e estudar. Graças aos esforços da rede, minha filha tem se desenvolvido muito bem”, disse, a mãe.

Clara Tereza sempre se atenta as diversas histórias pedagógicas

Nathan Araujo (estagiário) – Ascom Semed

Fonte: Prefeitura de Maceió