Guia orienta para retorno presencial seguro de jovens, adultos e idosos às aulas

Planejemento deve ser seguido por todas as escolas da rede municipal de educação e inclui avaliação diagnóstica e revezamento de turmas

A Educação Para Jovens, Adultos e Idosos (Ejai) já possui um planejamento pedagógico para o retorno das aulas na modalidade híbrida. O caderno de orientações detalha para a comunidade escolar os princípios norteadores do retorno, como rodízio de turmas e sugestões de atividades.

O caderno contempla toda a metodologia do Ejai na rede.

Como em outras etapas, um dos focos da Ejai durante o ensino híbrido será identificar e preencher lacunas, coletiva (como turmas) e individualmente, deixadas durante o Continuum Curricular 2020/2021, quando as aulas ainda estavam ocorrendo de forma remota. O documento destaca que vários estudantes não tinham acesso a ferramentas tecnológicas para fazerem o aproveitamento total das aulas.

Segundo Ana Amélia, coordenadora do Ejai na rede municipal, o caderno traz diversas sugestões de atividades durante o período. “O caderno contempla toda a metodologia da Ejai na rede. É possível ter, também, uma ideia de como deve ser feito o escalonamento dos estudantes, que irão em dias alternados para diminuir os riscos de contágio pelo coronavírus”, conta.

Parte fundamental do processo de ensino durante o período será a escuta humanizada dos estudantes e o acolhimento emocional. Segundo o guia de retorno, devem ser promovidas rodas de conversa, palestras, diálogos, atividades especiais com convidados e outras ações diferenciadas.

Um dos focos durante o ensino híbrido será identificar e preencher lacunas deixadas durante o Continuum Curricular 2020/2021. Foto: Arquivo Semed

O registro do resultado do diagnóstico será feito pelos professores, e essas anotações serão usadas para reflexão e problematização. A valorização das falas recorrentes e significativas dos educandos será, assim, central para garantir o aprendizado.

O escalonamento das turmas se dará de forma similar ao que já ocorre no Ensino Fundamental, onde as turmas serão divididas em grupos de, no máximo, 60% de seu total. Com isso, eles revezarão dias da semana presencialmente e de forma remota. Na semana seguinte, esses dias devem ser alternados, de forma a garantir uma carga horária idêntica.

Luan Oliveira (estagiário)/Ascom Semed

Fonte: Prefeitura de Maceió