Enfermeira cria “técnica da mãozinha” que acalma e melhora a medição da saturação dos pacientes

A mão dos pacientes é acolhida por duas luvas cirúrgicas, cheias com água morna, a ideia surgiu num momento de desespero da enfermeira Lidiane Melo, de 36 anos.

Num plantão complicado, cheio de pessoas dando entrada na emergência, a enfermeira Lidiane Melo não conseguia medir a saturação de um paciente, foi então que teve uma ideia é colocou duas luvas com água quente na mão do interno.

A ideia melhorou a circulação do sangue e acalmou o paciente, que vive um momento de muita solidão, sozinho, longe da família em um leito de UTI.

“A mão dele estava muito fria. Enrolei em algodão ortopédico e atadura, que é uma prática prevista na enfermagem, mas não funcionou. A circulação não melhorava. Pensei em molhar a mão dele com água morna, mas por causa do risco de contaminação, a ideia não era boa. Pensei mais um pouco e coloquei a água morna dentro das luvas cirúrgicas e envolvi na mão dele” , disse Lidiane.

Deu certo, e em três minutos, a chamada perfusão do paciente, que é a entrega do sangue nos tecidos do corpo, melhorou. Ela mediu a saturação do oxigênio e o encaminhou para o tratamento.

A história ocorreu em 2020, mas foi só este mês, de folga em casa, que ela achou a foto perdida no celular e resolveu postar.

“Fiz essa luva com água quente para melhorar a perfusão da minha paciente e ver melhor a saturação, e espero que ela sinta que tem alguém com ela segurando sua mão”, escreveu ela na legenda da imagem que rapidamente viralizou no mundo todo.

Lidiane Melo, a enfermeira que desenvolveu a técnica da mãozinha com luvas cirúrgicas — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Mas não é só a melhora da circulação sanguínea nas extremidades do corpo que a técnica aplicada por Lidiane resolve. Ela traz conforto psicológico e ajuda a acalmar os pacientes.