Inovação: Prefeito JHC busca parcerias para turismo na capital

O turismo é um dos pilares de Maceió. Pensando nisso, o prefeito JHC se reuniu, nesta sexta-feira (18), com representantes do Ministério do Turismo, do Sebrae nacional e regional, e da iniciativa privada na busca por soluções digitais que facilitem atividades relacionadas ao turismo. Para executar esse projeto, Maceió vai contar com o Wakalua, hub global de inovação em turismo que promove suas ações por meio de colaborações público-privadas.

Será criado um ecossistema de inovação, focando nos principais desafios de competitividade, como estrutura, logística e sinalização, através de uma lógica vertical, aliando educação e método. “Maceió tem muitas belezas e riquezas, para além da orla marítima. Temos muitos projetos para desenvolver todas as regiões e fortalecer o turismo na cidade como um todo. Estamos sempre pensando em soluções pra fomentar a cidade e hoje debatemos ideias criativas para este setor, tão importante para nossa economia”, disse JHC.

Para o diretor Secretaria Nacional de Atração de Investimentos linhas de crédito do Ministério do Turismo, Francisco Chaves Neto, os projetos a serem desenvolvidos na cidade se tratam de uma política pública. “Essa estratégia nacional precisa ter continuidade e vai ser viabilizada através de planejamento e ações. Por isso, estamos fazendo visitas técnicas que vão revelar como transformar os projetos em realidade da melhor maneira para cada cidade. A tecnologia e as startups são o futuro dos investimentos. E eu vejo em Maceió um ambiente de negócios”, pontuou.

Um dos caminhos para fomentar o turismo é conhecendo e aliando as necessidades de estudantes, empresários, moradores e do poder público. “Precisamos entender a realidade da população antes de executar qualquer projeto. Aqui em Maceió, há espaço e movimento para alavancar o turismo. Vamos começar pela cidade e, depois, viabilizar novos projetos em todo o Brasil”, completou César Reinaldo Rissete, gerente de Competitividade do Sebrae Nacional.

Já para o do secretário de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel), Ricardo Santa Ritta, outra estratégia seria transformar o maceioense no verdadeiro agente de viagens da cidade. “Precisamos inverter a experiência de olhar Maceió hoje, fazendo o povo olhar de dentro para fora, para além das belezas e da rota turística tradicional”, explicou.

Para viabilizar o projeto, o desenho do turismo será analisado e replanejado, visando solucionar todas as questões enfrentadas hoje e construir uma nova base, mais sólida, para o serviço. “É um projeto extenso, detalhado e complexo que, ao todo, poderá levar cerca de dez anos, mas dividimos em etapas e vamos criar um plano de ação para os primeiros três. Nesse primeiro momento, estamos entendendo o que de fato é importante para o desenvolvimento e melhorias reais para a cidade”, colocou o diretor do Wakalua, Eduardo Lorea.

“Nós passamos por um processo de amadurecimento e, agora, qualquer órgão, instituição ou esfera de governo acredita na nossa terra. Agora, podemos melhorar nossas perspectivas e passar ainda mais segurança para novos investimentos acontecerem”, afirmou o prefeito. “Quero que o povo ande pela cidade e veja entrega e preocupação com o futuro em todo lugar. Muito mais que infraestrutura, vamos levar educação, qualificação e oportunidade de mudar efetivamente a vida das pessoas”, concluiu.

A reunião, que ocorreu na Prefeitura de Maceió, contou com a presença de representantes do MTur, do Deputado Estadual Davi Maia, do secretário Ricardo Santa Ritta, de representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Nacional e de Alagoas, do diretor do projeto Wakalua e de João Kepler, diretor da startup Bossa Nova Investimentos.

Fonte: Prefeitura de Maceió